O que os grandes líderes têm em comum?

Normalmente, ao falarmos de grandes líderes, pensamos logo em CEOs de grandes empresas ou em empreendedores inovadores. Mas, grandes líderes podem estar em organizações de todos os portes e nichos de atuação, engajando equipes e buscando resultados concretos. E mais: são eles que inspiram pessoas e formam novos líderes em todas as esferas.

Entretanto, independentemente do número de pessoas que lidere ou do tamanho da empresa, algumas características ― e defeitos ― são comuns aos grandes líderes. Neste artigo, você encontra uma lista com os pontos de similaridade entre aqueles que ocupam essa posição.

5 pontos que grandes líderes têm em comum

Posições de destaque, como a ocupada por quem lidera pessoas, exigem uma série de habilidades que consigam fazer a ligação entre o desempenho da equipe e o que se espera dela. Mediar o andamento dos projetos em consonância com os desejos dos liderados e as expectativas pelos resultados é tarefa árdua.

Conheça características comumente encontradas na personalidade de grandes líderes.

Têm mais que autoconfiança

Já falamos sobre autoconfiança aqui no Portal e sobre como ela é um do pontos-chave para se destacar no ambiente de trabalho. Mas, grandes líderes não são pessoas que apenas têm consciência de que entregam o melhor de si e que produzem resultados. Eles têm algo a mais, a consciência de que são eles quem definem os rumos que as coisas tomarão.

Grandes líderes não podem apenas acreditar, eles precisam apostar. E junto a isso, vem a responsabilidade de ser o guia do caminho que todos os demais seguirão. Essa capacidade de execução é vista em grandes líderes que se recusam a apenas planejar, mas querem ver as ideias tomando formas. E, para isso, é preciso doses extras de autoconfiança e fé no papel que desempenha.

Aceitam o ônus da posição

Posições de liderança trazem destaque. E, com ele, nem todos os holofotes são bem-vindos. Há muito tempo se discute a solidão do líder, especialmente em momentos de crise. A quem pede ajuda aquele que precisa ter todas as respostas, que precisa arcar com o peso de ser o decisor de tantas questões? Sentir-se só ante a liderança é uma sensação que todos os grandes líderes experimentam.

Entretanto, grandes líderes têm a capacidade de tirar proveito dessas situações. Eles não apenas aceitam o ônus da liderança de peito aberto, como também usam desses momentos de solidão para a reflexão. É na solidão que traçam suas estratégias e conseguem encontrar as melhores saídas para os desafios.

Exercitam sua inteligência emocional

Para pessoas em posição de liderança, a inteligência emocional é duas vezes mais importante que para os colaboradores “comuns”. Esse é o resultado de uma pesquisa liderada pelo psicólogo Daniel Goleman, Doutor em Psicologia na Universidade de Harvard e pesquisador da Universidade de Rutgers. Após suas análises, Goleman concluiu que “quando calculei a proporção de habilidades técnicas, QI e inteligência emocional como ingredientes de excelente desempenho, a inteligência emocional provou ser duas vezes mais importante que as outras para empregos em todos os níveis”.

Conhecer e controlar as suas próprias emoções, ser automotivado, empático e sociável são as 5 qualidades que caracterizam alguém como um indivíduo com alta inteligência emocional. Quem comanda pessoas e almeja se tornar um líder inspirador, ao invés de um mero chefe, deve exercitar essas capacidades diariamente.

Eles têm quase os mesmos defeitos

Os grandes líderes, embora vistos como dotados de qualidades excepcionais, são humanos. Desta forma, estão totalmente sujeitos a cometer erros. E, entre eles, alguns têm maior incidência quando falamos de pessoas de destaque.

Por terem consciência do seu valor, muitos podem cair em excesso, tornando-se intransigentes e teimosos. Não são raros os relatos de quem já atuou junto a grandes líderes e, embora reconheça sua genialidade, passou por situações onde o diálogo se tornava difícil.

Para não incidir nesse erro, é preciso autocrítica constante. Saber que muitos outros também o cometeram ajuda a colocar esse ponto no seu radar e evitar cometer os mesmos erros. Uma das características que também se observa em líderes de sucesso é a humildade, portanto, exercite-a para evitar que o excesso de confiança prejudique sua atuação.

Grandes líderes são bondosos

Mesmo que tenham em mente os resultados, grandes líderes não esquecem, a nenhum momento, que estão lidando diretamente com pessoas. E isso inclui conviver com suas qualidades, defeitos e particularidades. Essa habilidade em lidar com diferentes indivíduos é responsável por muitos dos resultados obtidos e eles sabem disso.

Um bom exemplo é o do brasileiro Samuel Klein, fundador das Casas Bahia. Em datas comemorativas, dava aos colaboradores, independentemente do nível hierárquico, um bônus salarial. Nos Dias dos Pais, das Mães ou dos Namorados eram enviados valores extras para que os colaboradores pudessem comprar presentes.

Samuel entendia que esse gesto, que muitos poderiam considerar loucura pelo valor total das bonificações, reforçava o sentimento de valorização da equipe. Além de ser uma forma de a companhia agradecer a lealdade dos colaboradores.

Mesmo que a sua empresa não disponha de recursos financeiros para retribuir o esforço, esse gesto pode vir do líder de diversas formas: escuta ativa, empatia, fornecendo autonomia em projetos e espaço para desenvolvimento de novas habilidades.

Essas características listadas são bastante presentes em grandes líderes. E, ao contrário do que muitos imaginam, elas não são qualidades naturais, inerentes a quem ocupa esses cargos. Todas elas podem ser desenvolvidas ao longo da carreira e, se você almeja uma posição de liderança, é possível investir no seu aprimoramento pessoal e profissional por meio de cursos e treinamentos.

Fonte: Portal Dale Carnegie.



Fonte: https://portaldalecarnegie.com/o-que-os-grandes-lideres-tem-em-comum/